Paciência tem limites

Rejane Santos sorrindo

Na vida, sempre presei pelo bom convívio social. O que significa que, por educação, costumo saudar diariamente a maioria das pessoas ao meu redor. Algumas terão o privilégio de receber um sorriso e poucas um abraço.

Esse simples gesto de gentileza, pode ser julgado como falsidade. E, adivinhe? São justamente as pessoas que tendem a ser falsas que confundirão as bolas. Há diferenças entre saudações educadas e gestos de carinhos, mas nem todos saberão diferenciar.

O mundo seria um lugar melhor, se tirássemos um pouco de tempo para praticar o bem ao próximo. Por isso, tento ser gentil, amável e, quando possível, prestativa. Mas nunca será permitido que tirem proveito da minha boa vontade. Paciência tem limite.

Estou cansada de falsidade.

Esses dias, li uma postagem que dizia "A vida precisa ser vivida, não suportada" e isso me fez refletir. É certo que precisamos um do outros, mas não somos obrigados a aguentar tudo, muito menos tratar pessoas falsas com falsidade.

Não preciso ser mais uma falsiane no mundo e nem quero. Tudo tem limite, até mesmo a educação.

Comentários

Postar um comentário